Falha da Caixa permite clientes de fintechs dobrarem auxílio emergencial

Falha da Caixa permite clientes de fintechs dobrarem auxílio emergencial


Um erro cometido pela Caixa Econômica Federal, envolvendo beneficiários do Auxílio Emergencial, criou uma cizânia entre o banco público e fintechs como Nubank e PicPay. Por problemas envolvendo o sistema de pagamentos da Caixa, clientes das startups receberam mais de uma vez o depósito referente ao Auxílio Emergencial — ou seja, ao invés de receberem 600 reais, obtiveram, em alguns casos, 1.200 ou até 1.800 reais.

O problema, que tentou ser contornado de maneira silenciosa, acabou revoltando usuários dessas plataformas e expondo as fintechs, que, orientadas pelo Banco Central e pela Caixa realizaram o estorno de parte do dinheiro. Para piorar, a Caixa gerou uma lista de pessoas que não era precisa, o que incluiu clientes das fintechs que não tinham recebido dinheiro em excesso.

O erro na transferência aconteceu após pessoas, que são clientes dessas plataformas digitais e que tiveram o cadastro para receber o Auxílio Emergencial aprovado, gerarem boletos de depósitos para serem pagos com o benefício do governo. Assim, conseguiam antecipar o recebimento do benefício. O problema consistiu numa falha dos sistemas da Caixa que computou duas ou mais vezes o pagamento, gerando centenas de milhares de reais em excesso.

Tem recaído sobre o banco, que é o agente pagador apenas, os problemas envolvendo o filtro dos beneficiários do Auxílio Emergencial, que não funcionou e que permitiu centenas de fraudes que podem chegar a 12,5 bilhões de reais.

Veja