Justiça Eleitoral quer inibir fraudes em cota feminina e fiscalizará candidaturas em Santa Quitéria

Justiça Eleitoral quer inibir fraudes em cota feminina e fiscalizará candidaturas em Santa Quitéria


A existência de candidaturas femininas nas eleições, por mais que haja a intenção de postulantes em disputar vagas, sempre foi uma dor de cabeça para a Justiça Eleitoral. Sob a determinação de que 30% dos concorrentes a vagas no Legislativo sejam para elas, muitos partidos burlaram a lei fraudando registros. Neste ano, a legislação promete ser ainda mais rígida e pode derrubar até uma coligação inteira.

Para o pleito de 15 de novembro, as siglas terão que apresentar autorização por escrito de todas as candidatas, para garantir que aquela tem mesmo interesse em concorrer e não foi indicada pelo partido apenas para cumprir a cota feminina.

Baseado na eleição de 2016 em Santa Quitéria, de um total de 69 postulantes, 23 eram mulheres. Destas, apenas 16 foram votadas. Para este ano, a 54ª Zona Eleitoral estará atenta as candidaturas, sejam as de espontâneo desejo ou acordo partidário.