Ministério da Saúde pede à Fiocruz que divulgue cloroquina como tratamento precoce de Covid-19

Ministério da Saúde pede à Fiocruz que divulgue cloroquina como tratamento precoce de Covid-19


O Ministério da Saúde enviou um ofício à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, pedindo que a instituição dê ampla divulgação ao tratamento com uso de cloroquina e hidroxicloroquina como medicamentos que podem ser utilizados nos primeiros dias de sintomas de Covid-19. O ofício é assinado pelo secretário de Atenção Especializada à Saúde, Luiz Otavio Franco Duarte.

O uso da cloroquina é alvo de estudos e, apesar das primeiras evidências positivas nos testes in vitro, não há resultados que comprovem a eficácia da droga no tratamento ou na prevenção da Covid-19. Por outro lado, pesquisas já apontaram que a droga não trouxe benefícios para diferentes perfis de pacientes, sejam os casos leves ou hospitalizados, e ela foi até mesmo associada à piora da situação dos pacientes.

Os médicos alertam para os efeitos colaterais do medicamento, como a arritmia cardíaca. A Organização Mundial da Saúde (OMS) suspendeu os testes com o medicamento.

No documento encaminhado à Fiocruz, Duarte ressaltou ser "essencial tomar e divulgar algumas medidas" em relação ao tema. Uma delas é a "prescrição de cloroquina ou hidroxicloroquina, mediante livre consentimento esclarecido do paciente com diagnóstico clínico de Covid-19".

Tal tratamento, afirmou o secretário, seria realizado de forma "precoce, ou seja, nos primeiros dias dos sintomas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS)". Duarte também destacou que a ampla divulgação do método "integra a estratégia do Ministério da Saúde para reduzir o número de casos que cheguem a necessitar de internação hospitalar".

G1