Reflexo de ciclone bomba causou estragos e deixou 10 mortos no Sul do país

Reflexo de ciclone bomba causou estragos e deixou 10 mortos no Sul do país


Os estados do Rio de Janeiro e São Paulo devem sofrer rajadas de vento nesta quarta-feira (01) influenciadas pelo "ciclone bomba" que causou estragos, destruição e 10 mortos no Sul do país na terça. Nas capitais dos dois estados, a ventania derrubou árvores nesta madrugada.

 O estado de São Paulo pode registrar rajadas de vento em torno de 80 km/h por conta de reflexos ciclone extratropical que segue atuando em Santa Catarina. Na noite de terça-feira (30), a frente fria chegou ao estado paulista e duas lanchas e sete barcos afundaram em Peruíbe, no litoral. Em Itapeva, várias quedas de árvores foram registradas.

No Rio, a previsão é de ventos de até 76 km/h na capital e ressaca com ondas que devem atingir os 3,5 metros, segundo o Centro de Operações do Rio.
Em Santa Catarina, a previsão é de ventos de até 10 km/h até o fim da tarde.

Nove pessoas morreram vítimas das chuvas em Santa Catarina. Na cidade de Chapecó, no Oeste, uma idosa morreu após ser atingida por uma árvore. Em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, um homem perdeu a vida depois de ser atingido pela fiação elétrica de um poste depois da queda de uma árvore.

Três pessoas morreram em Tijucas, na Grande Florianópolis. Em Ilhota, no Vale do Itajaí, um homem de 59 anos morreu após um muro desabar na noite de terça-feira, no bairro Baú Baixo. De acordo com a Defesa Civil do município, a vítima era motorista, morador do estado de São Paulo, e teria ficado preso entre um caminhão e a estrutura que desabou.

De acordo com a Defesa Civil, uma morte foi confirmada na manhã desta quarta em Governador Celso Ramos. Houve também uma morte em Itaiópolis e outra em Rio dos Cedros.

No Rio Grande do Sul, um homem morreu soterrado após um deslizamento de terra causado pelo temporal em Nova Prata, na Serra. Vanderlei Oliveira, de 53 anos, foi socorrido pelos bombeiros, que o encontraram embaixo dos escombros de um tapume que ajudava a erguer na encosta de uma construção, no loteamento Clivatti. Ele chegou a ser levado para o Hospital São João Batista, mas não resistiu.

G1