Sem comer há 54 horas, empresário segue acorrentado na porta da Caixa

Sem comer há 54 horas, empresário segue acorrentado na porta da Caixa


Sem comer há 54 horas, o empresário Arlindo Magrão, dono de um bar, permanece acorrentado em frente a agência da Caixa Econômica Federal (CEF), no bairro Centro Cívico, em Curitiba. Em entrevista à Banda B, na tarde desta terça-feira (14), ele afirmou que só deixará o local quando tiver uma resposta efetiva do banco.

O empresário reivindica o direito a um giro caixa de mais de R$ 50 mil e limite flutuante de R$ 20 mil. “Está em campo de negociação e não sei se vão viabilizar ainda hoje. Estou aqui na expectativa desde domingo, sem se alimentar e esperando, porque parece que só desse jeito a coisa funciona. Já são 54 horas nesta situação. É radicalizar ou ver um negócio de anos acabar”, disse Magrão.

Por fim, Magrão ressaltou que ficará acorrentado até ter uma solução da Caixa e o corpo aguentar. “Vou ficar aqui até onde aguentar. Estou sem comer e esperando. O que eu posso fazer além disso? Espero sensibilizar e conseguir alguma coisa”, concluiu.

Metrópoles