DPVAT indenizou 2,7 mil pedestres entre janeiro e junho de 2020 no Ceará

DPVAT indenizou 2,7 mil pedestres entre janeiro e junho de 2020 no Ceará


Entre janeiro e junho de 2020, cerca de 10.191 cearenses receberam indenização do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT). Do total, 2.721 correspondem a pedestres vítimas de acidentes de trânsito, sendo 83,7% das indenizações pagas por invalidez permanente. A segunda maior causa de pagamento foi por morte, contabilizando 276 indenizações.

O Ceará está entre os estados brasileiros que mais tiveram indenizações envolvendo pedestres, atrás apenas de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina, segundo relatório da Seguradora Líder, responsável pelo serviço DPVAT. Para Mário Ângelo Azevedo, do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), isso se dá pelo déficit de cuidados ao pedestre se comparado a outros tipos de mobilidade. 

Dentre as principais causas para as indenizações, está a invalidez permanente em primeiro lugar, com 2.279 pagamentos efetuados. “Você afeta a vida dessas pessoas, da família dessas pessoas e da comunidade como um todo”, pontua o especialista. 

De acordo com dados da Seguradora Líder, responsável pelo DPVAT, a maior parte das vítimas está na faixa etária de 45 a 64 anos, correspondendo a 718 desses pagamentos. Em seguida vêm 35 a 44 anos (581); depois 25 a 34 anos (547); e em quarto lugar no ranking estão os jovens de 18 a 24 anos (368). Crianças e adolescentes são as menos indenizadas pelo seguro: na faixa etária de 0 a 7 anos foram pagas apenas 75 indenizações, já entre 8 e 17 anos o total foi de 151.

Diário do Nordeste