Maia e Gilmar saem em defesa da liberdade de imprensa após fala de Bolsonaro

Maia e Gilmar saem em defesa da liberdade de imprensa após fala de Bolsonaro


O Poder Judiciário foi contra a postura do presidente da República, Jair Bolsonaro, pela agressão verbal a um repórter do jornal O Globo. Nas falas dos representantes do terceiro poder, o comentário de Bolsonaro significou um atentado contra a liberdade de imprensa.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ao jornal O Globo que a liberdade de imprensa é um valor inegociável na democracia e disse esperar que o presidente "retome a postura mais moderada que vinha mantendo nos últimos 66 dias".

Já o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, escreveu em seu Twitter que é "inadmissível" a censura de jornalistas pelo "mero descontentamento do conteúdo veiculado", pontuando que a liberdade de imprensa é uma das bases da democracia. 

No último domingo (23), Bolsonaro foi questionado pelo repórter sobre os depósitos de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Em resposta, o presidente disse: "Vontade de encher sua boca de porrada".

Além das notas de repúdios, Randolfe Rodrigues (REDE-AP) afirmou que vai apresentar uma denúncia à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a violência contra a liberdade de expressão. Ele também repetiu a pergunta feita pelo repórter em suas redes sociais, marcando o presidente, aderindo a um movimento iniciado por jornalistas.

Noticias ao Minuto