Mutirão testa professores antes do retorno de aulas presenciais na rede privada de Fortaleza

Mutirão testa professores antes do retorno de aulas presenciais na rede privada de Fortaleza


1.200 profissionais da educação infantil foram testados para a Covid-19 neste domingo (30), em um polo organizado no Bairro Cocó, em Fortaleza. O processo de testagem teve início no sábado (29), em preparação para o retorno das atividades presenciais nas unidades de ensino da rede privada.

O retorno dos alunos de creches até o pré-escolar, com capacidade máxima de 30% nas unidades, foi autorizado pelo governo do Ceará na última sexta-feira (28). Neste primeiro momento, são testados auxiliares de sala e professores do segmento. A testagem faz parte do protocolo sanitário para a retomada, e cada escola deve ter um representante encarregado de fazer os exames.

A professora Veridiana da Silva Araújo foi ao local para fazer o teste e aponta a importância de seguir o protocolo. “Muitas pessoas disseram que o teste é desconfortável, mas foi tranquilo e é importante para que a gente possa retornar em segurança, já que esse vírus é muito preocupante”, afirma.

Para obter atendimento, os profissionais tiveram de realizar um cadastro previamente, o que, de acordo com auxiliar de secretaria Felipe Melo, um dos profissionais que aguardavam o teste, torna o processo mais organizado. "O cadastro ajuda, mas acho que poderiam organizar de outra forma para evitar aglomerações, separado por regional, por escola, alguma forma que fossem mais pontos para também facilitar o acesso”, pontua.

Ao longo desta semana, o processo continua em profissionais que terão contato com os alunos na retomada. A testagem acontece a partir desta segunda-feira (31) em pelo menos seis polos montados em instituições de ensino superior particulares com cursos na área da saúde, com início de atendimento às 8h.

Os pais terão a opção de envio dos filhos às instituições de ensino de educação infantil. Dessa forma, é possível continuar escolhendo o ensino remoto. "Com a obrigatoriedade das escolas oferecerem aos pais o ensino remoto e caberá aos pais por continuar remoto ou presencialmente, cumprindo todos os protocolos", afirmou Camilo durante o anúncio.

G1 CE