Novo escândalo envolve nepotismo em aluguel da Câmara Municipal em Varjota

Novo escândalo envolve nepotismo em aluguel da Câmara Municipal em Varjota


A Câmara Municipal de Varjota se vê envolta de uma nova polêmica envolvendo o seu presidente, Marcos César. Após a adesão das vereadoras Alessandra Araújo e Fransquinha do Edvar ao grupo político liderado por Elmo Monte (PDT) - e de maioria na Casa -, os trabalhos passaram a ser dificultados e obstruídos na Casa. Desta vez, a denúncia alega favorecimento familiar no aluguel do prédio.

Segundo dados do Portal da Transparência, desde fevereiro deste ano paga-se R$ 1,8 mil ao prédio, que não é adequado para a atividade parlamentar, sem dispor de espaço suficiente para os vereadores e assessores. A proprietária do prédio é a sobrinha do presidente, Kerolayne Oliveira Ximenes, indo de encontro aos princípios constitucionais da boa administração. Um possível caso de nepotismo já está sendo investigado.


Contra Marcos César, também pesa a medida arbitrária de reduzir o tempo das sessões e de fala dos seus colegas, o que foi derrubado pela maioria em Plenário, além da obscuridade em outros contratos pagos e firmados. Exemplo disto, um veículo alugado à serviço da Casa que com ou sem pandemia, custa aos cofres varjotenses quase R$ 4 mil mensais.