OMS diz que casos de reinfecção pelo coronavírus "não parecem ser comuns"

OMS diz que casos de reinfecção pelo coronavírus "não parecem ser comuns"


Nas últimas semanas, pesquisadores identificaram casos de reinfecção pelo novo coronavírus. O primeiro caso foi comprovado em Hong Kong, mas Holanda e Bélgica também registraram reinfectados. Uma porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que casos como esse não parecem ser comuns. 

Segundo reportagem do G1, a porta-voz Margaret Harris considerou a possibilidade de que outros casos como esses possam vim a surgir, mas apontou que evento não parece ser "regular". Para explicar o apontamento, a representante lembrou que são mais de 23 milhões de pessoas infectadas no mundo e poucos casos de reinfecção. 

Com essa nova informação, algumas dúvidas surgiram como a possibilidade da vacina não ser vitalícia. Ou seja, o efeito do medicamento, que ainda está em produção, pode durar apenas temporariamente. 

Em relação a isso, Harris informou que os pacientes reinfectados tinham passado por uma "imunização natural" na primeira vez em que contraíram a doença, pois criaram anticorpos para combater a patologia. A expectativa, no entanto, é de que a vacina seja mais forte e "dê mais imunidade" do que esse processo. 

A líder técnica da organização, Maria van Kerkhove, reforçou a fala de Harris e lembrou que todos que são infectados desenvolvem "algum nível de imunidade". O desafio pelo qual passa os pesquisadores agora, segundo Maria, é entender quanto tempo dura essa imunização e o quanto que ela é capaz de proteger o organismo.

O Povo