Aprovados em concurso acampam em frente à prefeitura e pedem nomeação

Aprovados em concurso acampam em frente à prefeitura e pedem nomeação


Desde o fim da tarde de ontem (8), um grupo de aproximadamente 20 pessoas está acampando, em frente à sede da Prefeitura de Juazeiro do Norte, em protesto que exige a convocação imediata dos aprovados no concurso público do Município, realizado há mais de um ano. Na época, foram abertas 1.811 vagas efetivas e mais 5.477 vagas para formação de cadastro reserva. O grupo garante que só deixará o local após reunião com o prefeito Arnon Bezerra (PTB).  

A professora Damiana Alencar, uma das aprovadas, conta que, até agora, de 1.811 candidatos aprovados, apenas 59 foram convocados e, destes, 51 tomaram posse. “O novo maior entrave não foi a prova, mas a falta de respeito conosco. Fazer o concurso e não querer convocar”, reclama.. Segundo ela, a homologação, ocorrida no dia 30 de março, só aconteceu por pressão. “Foi com base de muita luta. Estamos encontrando vários empecilhos, várias desculpas esfarrapadas”, completa.  

Após a homologação, foi formada uma comissão fixa com representantes dos aprovados e do poder público para reuniões semanais, para fechar as datas e criar um cronograma para os cargos que ainda faltam etapas. Com a chegada da pandemia, segundo a Comissão de Aprovados no Concurso Público, não houve mais encontros com a gestão.

“Começamos o acampamento hoje, mas não tem data para término, só quando as negociações forem abertas. O grupo ficará revezando para ser menos cansativo e evitar aglomeração”, detalha Damiana.  
Outra aprovada no concurso, a professora Zenaide Ribeiro viajou de Juazeiro da Bahia para participar do protesto. Ela conta que desde a aprovação se mudou do Rio de Janeiro para o Piauí, onde tem parentes, na expectativa de ser convocada. Com a demora, está preocupada.

“Eu preciso deste concurso. Estou desempregada desde o ano passado. Existem pessoas ocupando vagas que são nossas. Não estamos pedindo favor. Nós estudamos, lutamos”, ressalta, se referindo aos cargos em contrato temporário.  

Procurada, a Prefeitura de Juazeiro do Norte, até a publicação desta matéria, não se pronunciou acerca dos protesto. Através de sua assessoria, o órgão informou que está sendo aguardado um posicionamento da Procuradoria-Geral do Município e da Secretaria Municipal de Administração.

Diário do Nordeste