Cearense é citado em suposta fraude nos contratos de merenda escolar em Brasília

Cearense é citado em suposta fraude nos contratos de merenda escolar em Brasília


Na última quarta-feira (09), a Polícia Civil do Distrito Federal iniciou a operação que apura um suposto esquema criminoso de favorecimento de empresas em contratos de merenda escolar. No mínimo, 26 mandatos de busca e apreensão foram feitos. A operação tem por objetivo também desvendar possíveis irregularidades na produção de videoaulas realizadas pela Secretaria de Educação do DF.

Entre os nomes citados na investigação, está o ex-chefe da Casa Civil do DF, Valdetário Monteiro, que foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), além do ex-secretário de Educação, João Pedro Ferraz.

Em nota emitida, Valdetário preferiu aguardar o andamento das investigações para se posicionar sobre o assunto: 

"Aguardamos o conhecimento do conteúdo do eventual inquérito em andamento para compreensão dos fatos e futura apresentação de informações. Seguimos assim, certos e confiantes na Justiça e no hercúleo trabalho desenvolvido na Casa Civil", declarou.

Já o ex-secretário de Educação, João Pedro Ferraz, deixou claro que sempre cumpriu com os preceitos da lei nas suas funções:

"No mais, estarei sempre à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos, na certeza de que a investigação mostrará a retidão da minha conduta funcional", disse.

Investigação
A Polícia Civil declarou que o caso se trata de um “possível conluio de grandes empresários do ramo alimentício para fraudar licitações referentes à alimentação escolar”, assim como “irregularidades na contratação de produção de videoaulas”.

Além de Brasília, os estados de São Paulo e Piauí foram alvos da operação. A investigação integra a operação Self-Service, deflagrada também na última quarta (9), e da operação Fames, que está na segunda fase. 

Diário do Nordeste