Com queda de casos, Ceará desativa 42,5% dos leitos exclusivos para Covid-19

Com queda de casos, Ceará desativa 42,5% dos leitos exclusivos para Covid-19


Em constante ampliação durante a pandemia, o número de leitos exclusivos para Covid-19 no Ceará vem diminuindo nos últimos meses e acumulou desativação de 42,5% entre os meses de abril e junho. Segundo a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), a estrutura estadual, que chegou a 2.951, agora possui 1.696 leitos, com o redirecionamento de 1.255 espaços exclusivos para outros atendimentos.

Entre os meses de abril para junho, somente os leitos de enfermaria tiveram aumento de 265%, saindo de 771 para 2.040. Em relação aos de UTI, o acréscimo foi de 260%, variando de 350 para 911. No começo de setembro, a Sesa contabiliza 1.172 leitos de enfermaria e 524 de UTI para pacientes com o coronavírus.

Para o professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e epidemiologista Luciano Pamplona, a necessidade de internação reflete a transmissão de, aproximadamente, uma ou duas semanas atrás.

Apesar dos dados positivos, reforça a importância de manter os cuidados para reduzir os riscos de contaminação do coronavírus, como o distanciamento social e a utilização de máscaras. “A gente ainda precisa seguir com essa atenção”, aponta. 

Conforme a Sesa, com o retorno gradativo das consultas ambulatoriais e as cirurgias eletivas, os leitos foram redirecionados para o atendimento de pacientes com perfis distintos. O epidemiologista percebe que, com a redução na necessidade de internar pacientes pela Covid-19, “a secretaria tem a possibilidade de flexibilizar esses leitos para outras doenças que tenham essa necessidade”, finaliza.

Diário do Nordeste