Hospital de Campanha do PV começa a ser desmontado após 50 dias sem receber pacientes

Hospital de Campanha do PV começa a ser desmontado após 50 dias sem receber pacientes


A estrutura elétrica, bem como parte dos leitos do Hospital Emergencial de Campanha montado no Estádio Presidente Vargas (PV), em Fortaleza, já começaram a ser removidas. Um dos primeiros destinados para pacientes com o novo coronavírus (Sars-Cov-2), o local estava sem receber pacientes há mais de 50 dias. O esqueleto dos leitos, formado pelas lonas e por estrutura metálica, não estão mais no local. Parte da rede elétrica, como fiação e aparelhos para ventilação, já foi retirada do local.

O fechamento do Hospital foi anunciado no último sábado (19). A unidade concentra os últimos leitos temporários para Covid-19. A rede municipal de saúde chegou a ter 791 leitos destinados à doença. Agora, são 50 pontos de acolhimento na Capital: 20 no Instituto Doutor José Frota (IJF) II e 30 no Hospital e Maternidade Dra. Zilda Arns Neumann, conhecido como Hospital da Mulher de Fortaleza. 

Entre os motivos para a desativação está o comportamento da doença no município, aponta a secretária de Saúde de Fortaleza, Joana Maciel. Segundo a titular da SMS, a Capital está “há oito semanas com níveis estáveis”. 

Erguido em menos de um mês, o hospital foi inaugurado em 18 de abril, data em que recebeu os primeiros pacientes com coronavírus. Foram 1.239 pacientes infectados recebidos no centro ao longo da pandemia, com 1.025 recuperados apenas no Hospital. Nos quatro meses de atuação, a unidade emergencial registrou 140 óbitos em decorrência da doença.

O gramado do PV, coberto com concreto para suportar a estrutura médica, será reformado, de acordo com a Prefeitura de Fortaleza. Segundo informado pela administração, o polo receberá um novo campo e sistema de drenagem com "padrão de Copa do Mundo" para ser entregue definitivamente à prática esportiva e aos jogos de futebol profissional.

Diário do Nordeste