INSS ameaça descontar salário, mas peritos se recusam a voltar

INSS ameaça descontar salário, mas peritos se recusam a voltar


O governo determinou que os peritos médicos federais retomem ainda nesta quinta-feira (17) o atendimento presencial nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Agências do INSS foram reabertas na segunda-feira (14), mas os médicos peritos se recusam a retomar o atendimento alegando falta de adequação dos locais.

"Os peritos médicos federais já foram informados a respeito da liberação dos consultórios e também sobre a reabertura das agendas para marcação das perícias. Caso algum perito apto ao trabalho presencial não compareça para o serviço sem justificativa, terá registro de falta não justificada", informou em nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

"A falta não justificada implica em desconto da remuneração e pode resultar em processo administrativo disciplinar, se caracterizada a inassiduidade", afirmou, em nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho", conclui o texto.

Peritos dizem que não vão voltar agora
A Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP) afirmou, também em nota, que não teme "ameaças" e que "a suposta determinação de retorno imediato será ignorada", por considerá-la ilegal.

"Enquanto não forem feitas as vistorias técnicas nas agências do INSS pelo corpo técnico médico pericial da carreira, não haverá retorno do atendimento presencial, pelo elevado risco de transformar a população idosa e doente que frequenta os postos em alvo de contaminação pelo novo coronavírus", acrescentou.

G1