Padre é condenado a pagar R$ 398 mil por impedir aborto legal

Padre é condenado a pagar R$ 398 mil por impedir aborto legal


O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o padre Luiz Carlos Lodi deve pagar R$ 398 mil de indenização por danos morais ao casal Tatielle Gomes e José Ricardo Dias por impedir um aborto legal e fazer Tatielle dar à luz a um bebê que viveu por apenas uma hora. O caso, que começou há 15 anos, teve fim após decisão do Supremo, no dia 18 de agosto, de manter condenação do padre em última instância.

De acordo com reportagem da revista, aos 19 anos de idade e com cinco meses de gestação, Tatielle descobriu que o feto que carregava tinha uma anomalia: síndrome de body stalk, doença rara que faz com que os órgãos do feto fiquem do lado de fora do corpo, tornando a vida fora do útero inviável.

Ao receber o diagnóstico, o casal foi orientado a buscar a Justiça e pedir autorização para interromper a gestação. "Eu tinha que fazer isso o mais rápido possível, porque era perigoso eu ir junto [morrer] também", contou Tatielle em entrevista concedida em 2016.

A autorização chegou, cerca de um mês depois, e tudo indicava que Tatielle conseguiria realizar o procedimento, conforme está previsto na lei. Moradora de Morrinhos, a cerca de 130 quilômetros de distância da capital de Goiás, ela teve que ir para Goiânia para fazer o aborto.

No dia da operação, os médicos deram a ela os medicamentos para a indução do parto e ela começou a ter dilatação. No entanto, os doutores disseram que teriam de parar o procedimento. Segundo eles, havia chegado ao hospital um habeas corpus, que funciona como uma ordem judicial preventiva, ordenando que o procedimento fosse interrompido. O documento havia sido feito pelo padre Luiz Carlos Lodi da Cruz.

Por causa da decisão, ela foi mandada para casa e não realizou o procedimento, embora estivesse preparada para o parto. Em casa, segundo relatou à reportagem, e Tatielle ficou com dor e sangramento. Seu marido teve que acionar a Policia Militar para fazer o transporte, pois não havia ambulância disponível na cidade de Morrinhos.

Yahoo Notícias