Parecer do Ministério Público permite que ladrões de banco sejam soltos

Parecer do Ministério Público permite que ladrões de banco sejam soltos


A promotora do Ministério Público, Alessandra Gomes Loreto, de plantão no 7º Núcleo Regional do MP, na Capital, assinou um parecer que surpreendeu as autoridades de segurança pública local. Trata-se de uma ordem favorável para que a Justiça ponha em liberdade uma quadrilha que furtou cerca de R$ 700 mil e simulou um ataque com incêndio na agência do Bradesco em Aratuba (a 122Km de Fortaleza), menos de 24 horas após a prisão do bando, que era formado por quatro vigilantes de um carro-forte.

Em um documento de duas páginas, a promotora alega que “o crime foi cometido sem violência ou grave ameaça à pessoa, mas tão somente ao patrimônio. Logo, não há justificativa para a constrição cautelar (prisão) dos implicados no crime”.

Os quatro homens presos são vigilantes e trabalhavam em um carro-forte de uma empresa de segurança privada responsável por abastecer os caixas eletrônicos em agências bancárias na Capital e no Interior. Na sexta-feira passada (4) eles teriam recebido a missão de repor dinheiro nos caixas do Bradesco de Aratuba. No entanto, colocaram nos equipamentos apenas uma pequena parcela de notas e furtaram mais de R$ 700 mil.

Para apagar as pistas do furto, eles voltaram à agência na noite de domingo (6), furtaram o restante do dinheiro sem precisar explodir os caixas e incendiaram o banco. O prédio ficou destruído pelo fogo. Mas, durante um cerco da Polícia na região, os quatro foram presos e parte do dinheiro e das armas do bando foi apreendida pela Polícia Militar na residência dos suspeitos, em Fortaleza.

Ceará News 7