Polícia Federal investiga supostas fraudes em campanha eleitoral de candidata a deputada no Ceará

Polícia Federal investiga supostas fraudes em campanha eleitoral de candidata a deputada no Ceará


A semana começou agitada para a política da Capital. Na manhã desta segunda-feira (14), a Polícia Federal (PF) cumpriu oito mandados de busca e apreensão, durante ação que investiga supostas fraudes na campanha eleitoral de uma candidata a deputada estadual no Ceará. 

Conforme informações da PF, durante as eleições de 2018, a candidata Débora Ribeiro recebeu repasse de R$ 274 mil do Fundo Eleitoral, mas só obteve 47 votos no pleito. 

O valor, segundo a PF, seria superior a outros candidatos da mesma agremiação partidária que lograram êxito no referido pleito eleitoral. As ordens judiciais foram expedidas pela Justiça Eleitoral do Ceará e um inquérito policial foi instaurado. 

Os mandados de busca e apreensão ocorreram por meio da Operação Spectrum, que apura possível desvio de recursos do Fundo Eleitoral nas eleições de 2018 no Ceará. 

Ainda segundo a PF, os mandados foram cumpridos na sede estadual de partido político, em um escritório de contabilidade, em uma empresa gráfica, em um posto de gasolina e nas residências da investigada e dos proprietários das empresas.

Parceiros na Política
Débora Ribeiro, que recebeu o dinheiro do fundo eleitoral pelo Pros para campanha, é cunhada de Vaidon Oliveira. Segundo reportagem divulgada através do O Povo em 2019, a candidata residiu durante anos no mesmo endereço que Franscisco Tancredo de Oliveira, irmão do deputado, na Praia do Futuro. A revelação traz Vaidon para o centro da suspeita de que a candidatura de Débora, que obteve apenas 47 votos apesar do elevado investimento, teria sido lançada como "laranja" para ter acesso a recursos do fundo eleitoral.

Com informações de Diário do Nordeste e O Povo