Presos da Penitenciária Regional de Sobral são separados por facção

Presos da Penitenciária Regional de Sobral são separados por facção


Contrariando as determinações da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a direção da Penitenciária Industrial Regional de Sobral (PIRS) está separando os presos de acordo com a facção à qual pertence. Os presos que ali chegam são obrigados a assinar uma declaração em revelam a que organização criminosa pertence.

A ordem da direção do Presídio de Sobral vai  na contramão ao que foi amplamente divulgado pelo secretário da Administração Penitenciária do Ceará, Luís Mauro Albuquerque quando ele chegou ao Ceará para assumir o cargo à convite do governador do estado, Camilo Santana (PT).  Segundo ele, os presos teriam se adequar às novas medidas disciplinares e uma delas era a não separação por facção dentro das cadeias.

A separação, na interpretação de Albuquerque, fazia as cadeias acabarem se transformando em verdadeiros “guetos” de bandidos das facções, onde eles estariam à vontade sabendo que ali só estariam aliados e seus “chefões”, transformando os presídios em redutos de cada uma das facções que atuam no estado e travam uma guerra sangrenta por território.

“Não reconheço”
“Eu não reconheço facção. O Estado não deve reconhecer facção. A lei não reconhece facção”, respondeu Mauro durante cerimônia de posse dos secretários de Estado no Palácio da Abolição. “O preso está sob a tutela do Estado. Quem manda é o Estado”, acrescentou na ocasião.

No entanto, em Sobral, cada preso que ingressa na penitenciária é obrigado a assinar o termo declarando de qual facção pertence para, em seguida, se colocado nas celas ou pavilhões onde  estão seus aliados do crime.

Fernando Ribeiro