Secretário de Educação do Rio é preso em operação contra desvio de dinheiro; Ex-deputada Cristiane Brasil é procurada

Secretário de Educação do Rio é preso em operação contra desvio de dinheiro; Ex-deputada Cristiane Brasil é procurada


A política do Rio de Janeiro amanheceu mais uma vez envolvida em grandes polêmicas. O secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, foi preso nesta manhã, durante nova fase da Operação Catarata, que investiga supostos desvios em contratos de assistência social no governo do Estado e na capital fluminense. Além dele, a ex-deputada federal Cristiane Brasil (PTB), que é pré-candidata à Prefeitura do Rio, também está com mandado de prisão expedido. Além deles, outras três pessoas tiveram mandados de prisão autorizados. 

Os mandados fazem parte da segunda fase da Operação Catarata, que em julho do ano passado prendeu sete empresários suspeitos de fraudar licitações da Fundação Leão XIII, voltada à população de baixa renda e em situação de rua. O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil informaram que o esquema pode ter desviado R$ 30 milhões dos cofres públicos entre 2013 e 2018 -- parte em espécie.


As informações emitidas através da TV Globo, relataram que ao ter voz de prisão anunciada pelos policiais, Pedro Fernandes apresentou um exame com resultado positivo para covid-19, e por isso está em prisão domiciliar. Cristiane Brasil estaria fora do Rio e, por isso, ainda não foi presa.

Mandato de prisão da ex-secretária 
Além da prisão de Pedro Fernandes, havia também um mandado para a ex-deputada federal Cristiane Brasil, filha do também ex-deputado federal Roberto Jefferson. 

A pré-candidata à Prefeitura do Rio responde por atos supostamente praticados entre maio de 2013 e maio de 2017, quando assumiu secretarias municipais nas gestões de Eduardo Paes e Marcelo Crivella. A ex-secretária não foi encontrada em casa, mas, segundo sua assessoria, ela não está no Rio e vai se apresentar à policia ainda nesta sexta (11).


Cristiane foi secretária de Envelhecimento Saudável da Prefeitura do Rio e chegou a ser nomeada ministra do Trabalho no governo Temer, mas teve a posse suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por conta de condenações na Justiça Trabalhista, reveladas pelo G1.

Defesa
Em nota divulgada, os advogados de Pedro Fernandes afirmaram que o secretário "ficou indignado com a ordem de prisão".

"O advogado dele vinha pedindo acesso ao processo desde o final de julho, mas não conseguiu. A defesa colocou Pedro à disposição das autoridades para esclarecimentos na oportunidade. No entanto, Pedro nunca foi ouvido e só soube pela imprensa de que estava sendo investigado por algo que ainda não tem certeza do que é". "Pedro confia que tudo será esclarecido o mais rápido possível ,e a inocência dele, provada", informou. 

Também em nota, Cristiane Brasil afirmou que a denúncia é "uma tentativa clara de perseguição política".

"Tiveram oito anos para investigar essa denúncia sem fundamento, feita em 2012 contra mim, e não fizeram pois não quiseram", disse. "Mas aparecem agora que sou pré-candidata a prefeita numa tentativa clara de me perseguir politicamente, a mim e ao meu pai. Em menos de uma semana, Eduardo Paes, Crivella e eu viramos alvos. Basta um pingo de racionalidade para se ver que a busca contra mim é desproporcional. Vingança e política não são papel do Ministério Público nem da Polícia Civil", destacou.

Com informações de IstoÉ e G1