Camilo e Wagner travam embate nas redes sociais a menos de um mês das eleições

Camilo e Wagner travam embate nas redes sociais a menos de um mês das eleições


A pouco mais de três semanas das eleições 2020, o governador Camilo Santana (PT) e o candidato à Prefeitura de Fortaleza Capitão Wagner (Pros) voltaram a duelar pelas redes sociais. O pivô do atrito ainda é o envolvimento do concorrente ao Paço com a paralisação de policiais militares no início do ano.

Nessa terça-feira, 20, Wagner rebateu a acusação de Camilo, que lhe atribui papel de liderança no motim da PM em fevereiro passado. Para ele, a versão de que teria alimentado essa mobilização é "fake news".

Instantes depois, o governador Camilo Santana voltou à carga após ter dito, na semana passada, que o nome do Pros na corrida eleitoral havia se reunido com "encapuzados", numa referência aos policiais mascarados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Camilo escreveu: "Fake news? As imagens de seus discursos inflamados para os grupos de encapuzados e amotinados? Sua luta pública para dar anistia aos envolvidos nos atos criminosos do motim contra a população? Capitão Wagner, se não se arrepende do que fez, pelo menos assuma os seus atos".

Wagner treplicou. Em mensagem enviada à reportagem e depois veiculada nas redes, o candidato respondeu que Camilo fala em assumir atos, mas não se responsabiliza pelos números da violência no Ceará.

O episódio é mais um enfrentamento público entre o governador e o líder nas pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura de Fortaleza. Sem poder manifestar-se politicamente a favor de qualquer candidatura, salvo a do PT, que lançou Luizianne Lins na disputa, Camilo tem tentado desgastar o deputado federal no pleito.

O POVO Online