Delegado e policiais civis são afastados no Ceará por abuso de autoridade, corrupção e mais 7 crimes

Delegado e policiais civis são afastados no Ceará por abuso de autoridade, corrupção e mais 7 crimes


A sexta-feira começou agitada em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza. O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) com apoio da Controladoria Geral de Disciplina dos órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) realizou uma operação que afastou das funções um delegado e cinco inspetores do 20° Distrito Policial, em Maracanaú. Além dos agentes, um empresário também é alvo das investigações. Os nomes não foram revelados pelas autoridades.

A Operação batizada por “Fim da Linha”apura a suposta prática dos crimes de abuso de autoridade, corrupção passiva, tortura psicológica, coação no curso do processo, prevaricação, usurpação de função pública, extorsão, violação de domicílio e associação criminosa cometidos pelo delegado e inspetores da Polícia Civil do Ceará, antes lotados na Delegacia Metropolitana e, hoje, no 20° DP, no Acaracuzinho.

Busca e Apreensão 
Com informações do MPCE, as investigações foram convocadas por ordem da 2ª Vara Criminal de Maracanaú, que, atendendo pedido do MPCE, determinou buscas e apreensões nas residências dos sete investigados e na sede do 20° Distrito Policial. 

Segundo a determinação judicial, todos os policiais, investigados em cinco procedimentos investigatórios criminais conduzidos pelo Ministério Público, devem ficar afastados das funções por 180 dias. 

Na determinação judicial, consta, ainda, entregar as armas e distintivos oficiais, usar tornozeleira eletrônica e evitar contato entre si ou com testemunhas, sob pena de imediata decretação da prisão preventiva.

Diário do Nordeste