Sem vacina ou distanciamento, Covid-19 vira doença sazonal que cresce no inverno e diminui no verão, diz pesquisa

Sem vacina ou distanciamento, Covid-19 vira doença sazonal que cresce no inverno e diminui no verão, diz pesquisa


Um estudo da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, descobriu que a Covid-19 aumenta no inverno e diminui no verão — caso não haja vacina, nem medidas como distanciamento social. O trabalho, batizado de “Sazonalidade e incerteza nas taxas de crescimento globais do Covid-19” (tradução livre), é assinado pelo ecólogo Cory Merow e o biólogo Mark Urban.

“Prevemos que a Covid-19 oscilará entre os hemisférios Norte e Sul, com base principalmente na variação sazonal da radiação ultravioleta e da temperatura, sem intervenções contínuas como o distanciamento social”, afirma o texto.

O trabalho foi submetido em maio deste ano e publicado na última terça-feira pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

Segundo os pesquisadores, o clima explica 17% da variação nas taxas de crescimento da Covid-19. “Fatores não descritos no nível das unidades políticas foram tão importantes quanto o clima (19% de variação) e grande parte da variação (64%) permanece sem explicação”, diz o estudo.

Os pesquisadores indicam ainda que o período sem casos deve ser utilizado para a recuperação do sistema de saúde, desenvolvimento de medicamentos e vacinas e um retorno à atividade econômica.

Segundo o artigo, o modelo usado para análise demonstra que a taxa de crescimento de Covid-19 aumenta com redução da luz ultravioleta, altas temperaturas e menor umidade relativa. 

O Globo