1 em cada 4 brasileiros não tomaria a vacina contra covid-19

1 em cada 4 brasileiros não tomaria a vacina contra covid-19


Apesar dos esforços de milhares de cientistas e milhões de agentes de saúde em todo o mundo (em maio, o Brasil foi recordista na morte de profissionais de enfermagem), cerca de 20% dos brasileiros não tomariam a vacina contra a covid-19, doença que já infectou 60 milhões de pessoas e matou 1,4 milhão. Esses e outros dados constam na pesquisa Global Attitudes on a Covid-19 Vaccine, da empresa de inteligência de mercado Ipsos,

Entre os dias 8 e 13 de outubro, foram ouvidas 18.526 pessoas (mil brasileiros) de 15 países e idade de 16 a 74 anos. Os resultados mostraram que, no Brasil, 81% das pessoas pretendem se vacinar – mas, em agosto, esse índice foi de 88%. Segundo o Ipsos, os percentuais caíram também em dez dos 15 países que entraram na pesquisa.

As justificativas para a recusa em se vacinar variam entre o avanço rápido dos testes clínicos (48%), efeitos colaterais (27%), a ineficácia da imunização (7%) a crença de que o contágio da covid-19 é baixo (7%) e a recusa em tomar qualquer vacina (6%). Apenas 18% dos brasileiros concordaram com a frase “A chance de eu ter covid-19 é tão pequena que a vacina não é necessária”.

As justificativas para a recusa em se vacinar variam entre o avanço rápido dos testes clínicos (48%), efeitos colaterais (27%), a ineficácia da imunização (7%) a crença de que o contágio da covid-19 é baixo (7%) e a recusa em tomar qualquer vacina (6%). Apenas 18% dos brasileiros concordaram com a frase “A chance de eu ter covid-19 é tão pequena que a vacina não é necessária”.

Tecmundo