Aliados governistas ganham força no interior; oposição fica estável

Aliados governistas ganham força no interior; oposição fica estável


Abertas as urnas no Ceará, as eleições municipais mostraram que partidos políticos que integram grupo que governa o Estado conseguiu se fortalecer ainda mais nas disputas pelos municípios. Enquanto isso, partidos de oposição, como Pros, Podemos e Psol, permaneceram com pouca amplitude em âmbito estadual. Mesmo aliado do governador Camilo Santana, o MDB de Eunício Oliveira sofreu baixas, como mostram os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A legenda, que já governou 33 prefeituras em 2008, quatro anos depois passou a administrar 28 cidades. Após o pleito de domingo caiu para 17.

A força dos partidos no interior do Estado, com o resultado das eleições municipais, já prepara o cenário para os próximos dois anos quando o eleitor vai escolher o novo governador ou governadora, além das vagas para o Senado, Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados. Buscando manter a hegemonia como o maior partido do Ceará, o PDT aumentou de 48 para 66 a quantidade de prefeitos eleitos no primeiro turno. Em 2016, a legenda obteve a última administração no segundo turno, em Fortaleza.

A força dos irmãos Cid e Ciro Gomes ao que parece continua influenciando os resultados da eleição no Estado. Os seus principais aliados saíram vencedores, como em Sobral, com Ivo Gomes, e nos principais centros eleitorais. 

Por outro lado, Eunício Oliveira viu o MDB perder espaço. Do mesmo lado de Domingos Filho no cenário estadual, o ex-senador perdeu a batalha no berço eleitoral, em Lavras da Mangabeira, para o grupo de Domingos, que é ex-conselheiro do extinto Tribunal de Contas dos Municípios. 

Eunício viu o partido presido por ele deixar o segundo lugar em número de prefeituras e cair para o quarto lugar, atrás do PT que enfrentou nos últimos anos uma resistência do eleitor em alguns municípios do interior. 


O Povo Online