Candidato suspeito de estuprar cadela não pode ser preso durante campanha

Candidato suspeito de estuprar cadela não pode ser preso durante campanha


A Polícia Civil investiga o caso de estupro de uma cachorrinha em Caldas Novas (GO) – conhecida como “Branquinha”. O suspeito do ato, o candidato a vereador Sandoval Leão (PT), não pode ser preso, pois não houve flagrante.

Segundo ele, a Polícia Civil já realizou algumas diligências na casa do indivíduo, mas o mesmo ainda não foi localizado. “Ele vai ser interrogado. Ainda estamos aguardando os laudos e o prazo para a conclusão do inquérito é de 30 dias.”

Vale destacar, a lei eleitoral veda prisões e candidatos a cargos eletivos nos 15 dias anteriores à eleição, exceto por flagrante. Ou seja, a regra vale desde o último sábado (31/10), uma vez que o primeiro turno do pleito ocorre no dia 15 de novembro.

Metrópoles