Em áudio, médico de Bolsonaro diz que vacina da Covid-19 matou brasileiro

Em áudio, médico de Bolsonaro diz que vacina da Covid-19 matou brasileiro


Mensagem de áudio que viralizou nas redes sociais apresenta o cirurgião Antonio Luiz Macedo, médico do presidente Jair Bolsonaro, falando, erradamente, que uma das vacinas contra Covid-19 que estão em fase de testes matou um voluntário brasileiro e que as pessoas não devem ser cobaias. As informações são da Folha de S.Paulo.

Na gravação de cinco minutos, em que Macedo se identifica como “cirurgião do aparelho digestivo e conhecido no Brasil inteiro”, o médico responsável por cirurgias de Bolsonaro pede “respeito aos brasileiros, nós não somos cobaias para sermos testadas com vacinas que não têm aprovação de ninguém”.

Macedo ressalta que os testes precisam ser feitos com “mais seriedade, com menos oba-oba, de modo que não se admita que um médico de 28 anos de idade morra testando uma vacina” e aponta para o perigo do imunizante, lamentando “esse coitado desse médico de 28 anos que morreu tomando vacina”.

“Pare de se testar vacina, vacina não é para se testar, vacina é para se aprovar se os dados da vacina fornecerem segurança para o médico autorizar”, diz Macedo, que confirmou à Folha ser autor do áudio.

A afirmação de Macedo sobre a vacina não procede. O médico brasileiro que participava como voluntário dos estudos da vacina contra o coronavírus em desenvolvimento pela Universidade de Oxford (Reino Unido) morreu por complicações da Covid-19 e não recebeu a imunização em teste.

Metrópoles