Há 13 dias do 2° turno, Camilo Santana e Capitão Wagner seguem trocando insultos

Há 13 dias do 2° turno, Camilo Santana e Capitão Wagner seguem trocando insultos


O governador Camilo Santana não perdeu tempo após o término da etapa inicial das Eleições Municipais 2020 e já oficializou "apoio incondicional" ao candidato governista à Prefeitura de Fortaleza, José Sarto (PDT). O postulante do PDT avançou para o segundo turno da corrida ao Palácio do Bispo contra Capitão Wagner (Pros), nome de oposição ao governador e a todo o grupo político da família Ferreira Gomes.

"Estarei à disposição do candidato Sarto para colaborar e contribuir, claro, respeitando todas as limitações e restrições da Justiça Eleitoral por conta da pandemia", disse o petista.

Segundo pesquisas O POVO/Datafolha, Camilo é a liderança com mais capacidade de influenciar o voto na Cidade, seguido do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

Além do apoio ao candidato do PDT, Camilo também classificou a candidatura de Capitão Wagner como aquela que representa a intolerância, o ódio e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Capital. "O que há de pior na política." 

Capitão Wagner
Em reposta a declaração de Camilo Santana, Capitão Wagner (Pros) respondeu às críticas do petista. Em live durante última segunda (16), o candidato sugeriu que o chefe do Executivo estadual se acovardou por não ter defendido a ex-prefeita e então candidata Luizianne Lins (PT) dos ataques da campanha do PDT, ainda no primeiro turno.

"Em nenhum momento, durante a campanha, vi o Camilo se solidarizar com Luizianne. Nunca vi o Camilo pedir para respeitar Luizianne porque ela tem um legado, deixou um legado social na cidade, foi responsável pelo Hospital da Mulher. Nunca vi o governador partir em defesa da candidata do seu partido", declarou.

Para Wagner, "a falta de posição, de compromisso e de coragem do governador fez com que ele apoiasse o candidato que estava batendo nela". Depois, assinalou que o gestor "entregou Luizianne ao ataque dos Ferreira Gomes".

O Povo