Procurador de Justiça do Ceará determina abertura de investigação sobre cenas de violência policial em Fortaleza

Procurador de Justiça do Ceará determina abertura de investigação sobre cenas de violência policial em Fortaleza


A ação violenta de alguns policiais militares do Batalhão de Choque do Ceará contra manifestantes em frente à Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), em Fortaleza, será apurada pelo Núcleo de Investigação Criminal do Ministério Público estadual (MPCE). O procurador geral de Justiça, Manuel Pinheiro, encaminhou um vídeo ao promotor Humberto Ibiapina, coordenador da área, para abertura de procedimento investigatório.

Na segunda-feira, 23, a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) também abrirá um processo administrativo para verificar o ocorrido na tarde desta sexta-feira, 20, durante um ato no Dia da Consciência Negra.

A manifestação, realizada por familiares de presos e por entidades da sociedade civil, aconteceu em frente à sede SAP, no bairro Meireles, em Fortaleza. O ato, no entanto, conforme os manifestantes e imagens que viralizaram na Internet, foi dispersado de forma violenta pela Polícia Militar com bala de borracha e spray de pimenta.

Três pessoas foram detidas e conduzidas para o 2° Distrito Policial. Depois de assinarem um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) por desobediência, os manifestantes foram liberados.

Em nota, a SAP afirmou que os manifestantes obstruíram a rua de acesso à Secretaria e desrespeitaram o perímetro de segurança estabelecido pelos policiais militares. Conforme Patrícia Oliveira, advogada que acompanhou os detidos, não houve confronto e nenhuma das pessoas avançou contra os PMs.

A manifestação tinha como intuito entregar “Troféu Tortura” ao secretário Mauro Albuquerque. Eram denunciadas violações de direitos de internos do sistema prisional cearense, como tortura e violência sexual.

O POVO Online