Sem provas de fraudes, Bolsonaro critica voto eletrônico e volta a defender voto impresso

Sem provas de fraudes, Bolsonaro critica voto eletrônico e volta a defender voto impresso


O presidente Jair Bolsonaro voltou a sugerir neste domingo (29), sem provas, que o voto eletrônico no país não é confiável. Bolsonaro voou até o Rio de Janeiro para votar no segundo turno na cidade.

Ao chegar ao local de votação dele, Bolsonaro estava sem máscara e cercado por apoiadores. Bolsonaro ficou cerca de 15 minutos no interior do colégio e, na saída, falou por cerca de meia hora com a imprensa. Ele defendeu o voto impresso e disse que tem conversado com lideranças do Congresso sobre o tema, acrescentando que essas mudanças dependem somente do Executivo e do Legislativo. Bolsonaro também disse que a apuração tem que ser pública.

"A minha eleição em 2018 só entendo que fui eleito porque tive muito, mas muito voto. Tinha reclamações que o cara queria votar no 17 e não conseguia. O que aconteceu em muitas sessões? Vão querer que eu prove, é sempre assim. O cara botava um pingo de cola na tecla 7, um tipo de adulteração", afirmou, sem apresentar provas para a acusação de fraude.

Diário do Nordeste