Teste da Coronavac no Brasil entra no último estágio para comprovar eficácia após atingir número mínimo de infectados

Teste da Coronavac no Brasil entra no último estágio para comprovar eficácia após atingir número mínimo de infectados


O teste de eficácia da Coronavac, a vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, atingiu o número mínimo de pessoas infectadas. Com isso, os estudos entraram na última fase de análise para verificar se ela realmente é eficaz contra o coronavírus.

Mais de 10.000 voluntários já receberam a vacina em sete estados brasileiros. O total de testados será de 13.000 pessoas. Metade recebe a vacina e a outra metade um placebo. Com este número mínimo de infectados, que é de 61, os pesquisadores analisam qual foi a resposta em cada um dos grupos.

“Atingimos o número mínimo de 61 infectados na semana passada, hoje estamos com 74. Nós autorizamos a abertura do estudo clínico. A análise dos casos já se iniciou e, portanto, rapidamente teremos os resultados das análises, que serão submetidas ao Comitê Internacional Independente do estudo para produzir o relatório que será encaminhado à Anvisa brasileira e à China”, disse o diretor do Butantan, Dimas Covas, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, 23.

Ainda de acordo com Dimas Covas, a expectativa é concluir esta análise dos casos de infecção na semana que vem. “A partir deste momento aguardamos a manifestação da Anvisa, das duas [da chinesa e da brasileira], e eventualmente pode acontecer de uma ser mais ágil que a outra, e poderemos ter a aprovação da China ou do Brasil ainda no mês de dezembro”, disse Dimas Covas.

Exame