Bolsonaro pede que cidades não fechem comércio e volta a defender cloroquina

Bolsonaro pede que cidades não fechem comércio e volta a defender cloroquina


O presidente Jair Bolsonaro utilizou parte de sua transmissão semanal nas redes sociais nesta quinta-feira (10) para falar sobre a pandemia do coronavírus. Bolsonaro, no entanto, não comentou sobre a recente alta de casos de Covid-19 no país e nem sobre o impasse sobre o início da campanha de vacinação nacional.

Quando citou a pandemia, o presidente se concentrou no pedido para que estados e cidades não voltem a fechar o comércio no fim do ano e na sua defesa do uso da hidroxicloroquina – dois pontos que Bolsonaro argumenta a favor desde o início da crise do coronavírus.

No início da live, ele pediu que governadores e prefeitos "não tomem medidas que prejudiquem o comércio", citando, em seguida, sua defesa da hidroxicloroquina – medicamento que não tem comprovação científica no tratamento da covid-19.

Não adianta começar a fechar tudo de novo", disse ele, afirmando que um lockdown mais rígido acarreta "mais mortes" – sem apresentar evidências. "O tratamento precoce é o ideal. Sentiu sintoma, vai no médico. Vem alguns dizerem que [a hidroxicloroquina] não tem comprovação Eu sei, mané.

Ele novamente afirmou que a cloroquina foi utilizada por médicos em países da África subsaariana para combater a malária, para a qual ela é indicada, e isso supostamente ajudou a conter a covid-19 na região.

Yahoo Notícias