PM encerra festa com cerca de 700 pessoas e detém dois organizadores no Ceará

PM encerra festa com cerca de 700 pessoas e detém dois organizadores no Ceará


Uma festa conhecida como "pagode no sigilo", com cerca de 700 pessoas, foi encerrada pela polícia na noite da última sexta-feira (11) na Avenida Pedro Lazar, no Bairro Cambeba, em Fortaleza. Os frequentadores desrespeitaram o distanciamento social e o uso obrigatório de máscara previstos em decreto estadual para evitar o contágio de Covid-19. Essa não é a primeira vez durante a pandemia que ocorre eventos no local, um lava-a-jato que nos fins de semana vira ponto de festa. 

Equipes da Polícia Ambiental e da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) estiveram no local e dispersaram o público. Dois organizadores do evento, um homem e uma mulher, foram presos pelo descumprimento do decreto estadual. Eles foram levados para o 13º Distrito Policial, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) com base no artigo 268.

Fiscalização em eventos e festas
O Ministério Público do Ceará e o Governo do Estado traçaram um plano de fiscalização de aglomerações e eventos contrários ao decreto de isolamento social que possam ocorrer nas festas de fim de ano, que começou neste fim de semana.

Conforme o MPCE, serão fiscalizados, por meio da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) e da Agefis, eventos em diferentes áreas de Fortaleza, conforme o histórico dos locais onde há mais registro de aglomerações. Nas cidades do interior, a atuação será feita pelo MPCE, pelas vigilâncias estadual e municipais, e pela Polícia Militar. De acordo com a Sesa, vão ser fiscalizados o horário de fechamento de bares e restaurantes e o uso de máscaras pelas pessoas nesses ambientes.

O Governo do Ceará vem renovando o decreto de isolamento social desde março e promovendo uma abertura gradual das empresas. Reuniões de público, com aglomeração, estão proibidas desde o início da pandemia, no entanto, as denúncias de festas ilegais são frequentes.

G1-CE