Adeílton Mendonça: vacina contra Covid, Hospital e os desafios a frente da saúde de Santa Quitéria

Adeílton Mendonça: vacina contra Covid, Hospital e os desafios a frente da saúde de Santa Quitéria


A saúde é, indiscutivelmente, o maior gargalo de uma administração. Ainda mais quando se tem um agravante: no iniciar do 2021, a pandemia da Covid-19 avançando a todo vapor e que requer ações enérgicas logo de imediato. Embora a taxa de recuperados em Santa Quitéria seja superior a 97%, isto não significa que merece um relaxamento. Exige prudência no agir.

É um dos vários desafios que terá pela frente, Adeílton Mendonça, empossado na sexta-feira (1º) como secretário de saúde do município. Traz na bagagem, a experiência de ter comandado a pasta em outros municípios e em entrevista ao A Voz de Santa Quitéria, se mostrou consciente das responsabilidades que terá em gerir o sistema local, inclusive admitindo ser o "maior desafio da sua vida".

A saúde no ano de 2020 sofreu algo que ninguém dessa era passou. Ainda é muito preocupante, alarmante, vidas foram ceifadas e eu venho com uma missão, ajudar da melhor maneira possível, fazer com que a saúde dos quiteriense fique cada vez melhor.

Adeílton destacou que a criação do Plano Municipal de Vacinação será a maior ação nos primeiros 100 dias de administração. "A gente vai conseguir imunizar todos os públicos-alvo da primeira fase e subsequente nos planos estaduais e nacionais", também mencionando que dará prioridade as testagens do swab e outras ações de coibição, como fornecer insumos e EPIs aos profissionais de saúde e dar orientações à população.

Sua primeira ação foi a operação do Hospital Municipal logo cedo no dia 1º, citando que "saúde não dá pra esperar".

Como o hospital tem uma demanda muito grande, começamos com dois médicos, um na emergência e outro na sala de parto, dando uma estrutura maior e melhor para os quiterienses, fazendo assim com que a saúde tenha uma melhor qualidade e para não ter aquela história de ficar acumulando. Acredito que daremos uma resposta positiva.
 
Ao citar a extensão territorial do município, o secretário admitiu as dificuldades de acesso que há para as 14 equipes de Saúde da Família e garantiu que irá trabalhar para equipar principalmente com material humano, com médicos, enfermeiros e dentistas, bem como ampliar este número.