Após primeira mulher vacinada no Brasil, Pazuello pede que governadores evitem "jogada de marketing"

Após primeira mulher vacinada no Brasil, Pazuello pede que governadores evitem "jogada de marketing"


O ministro Eduardo Pazuello (Saúde) fez neste domingo (17) o primeiro pronunciamento após a aprovação da Anvisa pelo uso emergencial de duas vacinas no Brasil. Ele criticou o que chamou de “jogada de marketing”, logo após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acompanhar a primeira pessoa vacinada no País. 

“Quebrar essa pactuação é desprezar a igualdade entre os estados e todos os brasileiros. Quebrar isso é desprezar a lealdade federativa”, disse. Sem citar o governador paulista, o ministro pediu aos governadores “não permitam movimentos políticos eleitoreiros se aproveitando da vacinação em seus estados”.  

Logo após o parecer dos cinco técnicos da Anvisa, no início da tarde, uma estrutura já montada previamente foi utilizada para vacinar a enfermeira Mônica Calazans, 54, que trabalha na UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo.  João Dória abraçou a enfermeira e fez um discurso ao lado dela, logo depois. 

“O nosso único objetivo tem que ser salvar mais vidas e não fazer propaganda. Pazuello determinou ao departamento logístico do ministério que faça a preparação específica dos lotes para cada estado considerando os grupos prioritários e a proporção relativa de cada um", finalizou o ministro.