Braguinha aponta dívida da Prefeitura de R$ 580 mil com a ENEL e rombo de R$ 15 milhões no IPESQ

Braguinha aponta dívida da Prefeitura de R$ 580 mil com a ENEL e rombo de R$ 15 milhões no IPESQ


O prefeito de Santa Quitéria, Braguinha (PSB) falou nesta terça-feira (19) pela primeira vez, em entrevista a rádio SomZoom Sat, sobre a atual situação financeira do município deixado pelo ex-prefeito Tomás Figueiredo (MDB). Ao ser questionado sobre auditorias realizadas em seu primeiro mês de mandato, Braguinha comunicou que está sendo feito um relatório sobre todas as secretarias da gestão. 

O gestor se queixou por Tomás não ter concedido a transição ao fim de sua gestão, afirmando que foi necessário pedir uma autorização ao Ministério Público, que entrou em contato com o ex-prefeito, estipulando cinco dias para ser resolvida a questão. “No dia 04, 10 da manhã, tinha dependências que não tínhamos nem as chaves, de alguns PSFs fechados. Nós, como diz na gíria, trocamos o pneu do carro em movimento”, criticou.

Durante a entrevista, Tomás foi acusado de ter prejudicado, de inúmeras formas, a contabilidade da prefeitura do município. Braguinha não relutou a anunciar que a gestão anterior deixou uma dívida de R$ 580 mil junto à concessionária de energia ENEL Distribuição Ceará. Além desta, Tomás também teria atrasado todas as contas do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Santa Quitéria – IPESQ, contabilizando um rombo superior a R$ 15 milhões.

Braguinha não segurou as críticas para Tomás: “É muito prejudicial o que esse prefeito fez. Se fosse continuar por mais 4 anos, como ia ficar?”, rebateu.

O atual gestor ainda deixou claro que está fazendo um levantamento do IPESQ e irá cobrar e denunciar o ex-prefeito. “Os prejudicados são todos os servidores, eles estão no prejuízo. Se eu sou um comerciante bem-sucedido, é porque não existe vaga pra velhaco”, finalizou.