Com 31 mil pessoas na pobreza, Santa Quitéria tem 58% da população em situação extrema vivendo com R$ 89

Com 31 mil pessoas na pobreza, Santa Quitéria tem 58% da população em situação extrema vivendo com R$ 89


Sobreviver com R$ 89,00 por mês. Condição extrema que em Santa Quitéria, segundo registros do Cadastro Único, mecanismo do Governo Federal, era a realidade de 18.491 pessoas em outubro de 2020. Os dados são os mais atualizados disponíveis pelo Ministério da Cidadania. Conforme a pasta, no município, 31.629 pessoas vivem em situação de pobreza e extrema pobreza, pois as famílias têm renda de até meio salário mínimo por pessoa ou até 3 salários mínimos de renda mensal total.

O Cadastro Único, mecanismo do Governo Federal de acesso a programas sociais para a população vulnerável, reúne um conjunto de informações sobre a condição dos indivíduos e das famílias brasileiras. No primeiro ano da pandemia, a situação de pobreza avançou. Em Santa Quitéria, o total de famílias registradas no Cadastro Único em outubro do ano passado - 12.190 - , foi o maior número desde novembro de 2015, quando 12.112 grupos familiares estavam em condição de baixa renda e miséria. 

Por meio do sistema do Cadastro Único, o Governo Federal e, consequentemente, os estaduais e municipais, têm conhecimento sobre quem e quantas são as pessoas que estão na pobreza e extrema pobreza no Brasil. A partir dos dados é possível projetar e executar políticas de assistência social, incluindo as ações de transferência de renda. O programa social mais conhecido que utiliza o Cadastro Único é o Bolsa Família. Mas, durante a pandemia foi esse sistema que norteou a disponibilização do auxílio emergencial.  

O registro da condição de vida via sistema do Cadastro Único faz com que a parcela pobre da população possa ter acesso a direitos como moradia, alimentação, educação e renda. Nos municípios para se cadastrar é preciso buscar os Centros de Referência da Assistência Social (Cras).