Pai antivacina mata filho de 9 anos e depois comete suicídio

Pai antivacina mata filho de 9 anos e depois comete suicídio


A Polícia de San Francisco, na Califórnia (EUA), está investigando a morte de uma criança de 9 anos que teria sido assassinada pelo pai. Stephen O’Loughlin, de 49 anos, foi encontrado morto com um ferimento de bala dentro de seu apartamento ao lado do filho Pierce, que também estava baleado. 

De acordo com a polícia local, os agentes foram até a casa do homem após a mãe do menino, Lesley Hu, acionar a corporação. Ela havia recebido uma ligação da escola do filho afirmando que a criança havia faltado nas aulas.

A advogada de Lesley, Lorie Nachlis, disse que os pais de Pierce estavam divorciados desde 2016. O casal estava em uma luta judicial pela guarda do menino. O’Loughlin era adepto do movimento antivacina e acreditava que o governo usava os imunizantes para controlar a mente das pessoas. “A postura do ex-marido sobre as vacinas assumiu um tom de culto”, afirmou Lorie.

A mãe queria obter na Justiça a guarda exclusiva de Pierce, para poder tomar as decisões médicas referentes ao menino. No entanto, Lorie ressalta que a questão das vacinas era apenas uma das discussões que os pais estavam tendo por causa do filho.

Segundo a advogada, O’Loughlin sofria de doença mental não tratada que resultou na tragédia da semana passada. “Pierce não foi morto por causa de um desacordo sobre um nariz entupido e também não foi morto por causa de um desacordo sobre vacinação. Ele foi morto por razões mais complexas ”, disse Lorie.

“Como o pai percebeu que estava perdendo o controle, ele puniu Lesley com o último ato de violência: matar seu filho. Ela sofrerá, como pretendido, pelo resto de sua vida”, afirmou a advogada. A polícia de San Francisco continuará a investigação.

Isto É