Polícia interrompe velório e retira corpo de casa após identificar erro na liberação de cadáver no Ceará

Polícia interrompe velório e retira corpo de casa após identificar erro na liberação de cadáver no Ceará


Conforme a família da vítima, o Hospital Madalena Nunes liberou o corpo para o velório e sepultamento, sem que ele tivesse passado pela Perícia Forense.

O corpo de Sousa era velado na casa da família, com a presença de dezenas de amigos e familiares, quando os policiais chegaram ao local e apresentaram uma ordem para retirar o cadáver do local.

"Os policiais chegaram com atestado de óbito e disseram que [a liberação do corpo pelo hospital] não vale mais nada. É coisa do Estado, a gente é leigo. Ele disse que é lei, [o corpo] tem que ir ao IML pra fazer a perícia. Vou acatar o que eles disseram e pronto. Nada mais a declarar", afirmou o irmão da vítima, Batista de Sousa.

Em nota, a Polícia Civil afirmou que por se tratar de um homicídio, o cadáver deve periciado antes de ser entregue para a família. A perícia faz parte do processo de identificar, identifica a causa do assassinato e pode ser usada no processo de investigação e em um eventual julgamento do autor do crime.

A direção do Hospital Madalena Nunes, que liberou o corpo para a família, informou que apura o caso.

"O corpo é objeto de um processo, o corpo pertence ao Estado por fazer parte de um inquérito. Solicitamos o corpo de uma forma bastante calma para não gerar mais transtorno", afirmou o comandante da Polícia Militar sargento Siqueira.

G1 - CE