Buscas por oxímetro e testes rápidos aumentam nas farmácias de Santa Quitéria

Buscas por oxímetro e testes rápidos aumentam nas farmácias de Santa Quitéria


Em janeiro deste ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) sugeriu a pacientes com Covid-19, que estejam em casa, monitorar os níveis de oxigênio com o oxímetro. No Ceará, a procura pelo aparelho fez o produto desaparecer em boa parte das farmácias. 

Portátil, o oxímetro existe há anos. Ele é aquele aparelho que médicos colocam na ponta do dedo do paciente em triagens, exames de rotina ou internações. Mede a saturação (nível de oxigênio) do sangue, que tem a ver com a capacidade respiratória do paciente. 

De acordo com Sabrina Almeida, farmacêutica da Pague Menos de Santa Quitéria, o teste de oxímetria é feito de acordo com o estado do paciente, mas até o momento, não foi demandado uma grande procura pelo próprio aparelho. A profissional ressaltou que o oxímetro é apenas um parâmetro, não diagnosticando por completo e por isso, o teste rápido da Covid-19 ainda é o mais procurado. O valor do aparelho oxímetro na farmácia é em média R$ 250,00.

Ao ser questionada sobre os testes rápidos, Sabrina disse que a procura está alta desde o início de 2021 e que normalmente chega a realizar 20 testes diariamente. Desde janeiro, já foram contabilizados mais de 100 testes feitos, que ocorrem por agendamento afim de evitar aglomerações. Em meio a contabilidade de casos, a farmacêutica informou que ao todo, os testes negativos sobressaem os positivos, mas que a porcentagem afirmativa está em alta.