COLUNA: Ao que tudo indica, ninguém quer ser campeão brasileiro

COLUNA: Ao que tudo indica, ninguém quer ser campeão brasileiro


A 35ª rodada dos candidatos ao título já aconteceu e, mais uma vez, ficou a dúvida: será que ninguém quer a taça do Brasileirão 2020? 

Claro que a indagação não leva um tom tão grande assim de seriedade. Afinal, todo mundo quer ser campeão da competição nacional mais importante do Brasil. Mas, por outro lado, nos leva a refletir como os clubes da ponta estão sendo incompetentes na hora de “criar uma gordurinha”. 

O grande e inacreditável vacilo do colorado, perdendo em casa, para um candidato ao rebaixamento, e perdendo a chance de, como eu disse, abrir uma vantagem em pontos, levantou a moral do rubro negro carioca que ganhou um pontinho, jogando fora de seus domínios com o fortíssimo Red Bull Bragantino. 

Ao decorrer desse campeonato, alguns times já fizeram uma forcinha para iludir seu torcedor. Jorge Sampaoli com o Atlético-MG e seus milhões gastos em reforços, Internacional e Abel, que atingiu a marca de 9 jogos de invencibilidade (batendo o recorde da era dos pontos corridos), Flamengo e seu elenco recheado de estrelas e São Paulo, quando comandado por Diniz, que chegou a ser considerado por muitos como o melhor futebol do país e hoje, para termos uma ideia, o técnico está desempregado.
 
Entretanto, o fim do campeonato está cada vez mais próximo e, os clubes querendo ou não, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai ter que entregar a taça a alguém. Com uma visão mais técnica e uma pitada de opinião, acredito que conheceremos o campeão ainda na penúltima rodada, quando o atual vice-líder (Flamengo) e o líder (Inter) se enfrentam em um confronto direto que promete muitas emoções. 

Fica a torcida (pelo menos a deste que vos escreve) para que, não importa quem leve a taça, mas que a mesma seja decidida na mais pura emoção. Ou no confronto direto da 37ª, ou parecido como aconteceu em 2009, quando Inter e Flamengo também disputavam o brasileiro e só na última rodada, com gols no 2º tempo e uma vitória sobre o Grêmio, que os cariocas ficaram com o título daquele ano. 

Vicente Barcelos