Flordelis assume vaga de titular na Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados

Flordelis assume vaga de titular na Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados


A deputada federal Flordelis dos Santos (PSD) assumiu vaga de titular na Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados. A informação foi publicada no perfil da parlamentar no site da Casa na última terça-feira (2). Ela é suspeita de participar do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, morto com diversos tiros em junho de 2019, no município de Niterói, no Rio de Janeiro.

Atualmente, a cantora gospel também é alvo de investigações da Mesa Diretora da Câmara por quebra de decoro parlamentar, que pode causar a perda do mandato dela como deputada federal. A Mesa encaminhou, em outubro, o relatório ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.  

De acordo com informações da revista Veja, a deputada recebeu do Governo Federal mais de R$ 10,1 milhões em emendas parlamentares ao longo do ano passado. O dinheiro do orçamento da União seria voltado para investimento no atendimento em saúde no estado do Rio de Janeiro.

Os dados sobre as quantias liberadas por meio das emendas para a política – que atualmente é monitorada por uma tornozeleira eletrônica e não pode sair da própria casa entre 22h e 6h – estão disponíveis do Portal da Transparência.   

Em nota divulgada, a Câmara dos Deputados disse que todas as deputadas federais integram a Secretaria da Mulher como titulares. "Assim como ocorre nas comissões, as informações sobre a composição das secretarias da Câmara no portal são atualizadas a cada início de sessão legislativa, por isso a atualização na data constante das páginas das deputadas como titulares (membros) da Secretaria da Mulher".

Assassinato
De acordo com a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), a deputada federal Flordelis, seria mandante da execução do marido, o pastor Anderson do Carmo, que foi assassinado com diversos tiros em 16 de junho de 2019.

O órgão e a Polícia Civil do Rio de Janeiro, em agosto de 2020, prenderam nove pessoas suspeitas de envolvimento na morte. Entre os presos, estão seis filhos do casal, uma neta, um ex-policial militar e a mulher dele.

De acordo com a polícia, Flordelis já havia tentado matar o marido pelo menos quatro vezes, uma delas com veneno na comida. O casal teve 55 filhos, dos quais 51 são adotivos. 

Diário do Nordeste