Homens invadem apartamento de luxo e levam cofre em carrinho de compras

Homens invadem apartamento de luxo e levam cofre em carrinho de compras


A Polícia Civil investiga o arrombamento e o furto de objetos de valor em um prédio de luxo na Zona Norte do Recife. Na ação, ocorrida no último sábado (13), dois homens chegaram a usar um carrinho de compras para transportar um cofre. 

O furto foi registrado por câmeras de segurança do Edifício Hockenheim, localizado no bairro da Jaqueira, em área nobre da capital de Pernambuco. É possível observar, nas imagens, os suspeitos saindo de um elevador com o carrinho, coberto por um tecido. O cofre estaria teria sido transportado nele. Joias e dinheiro também foram levados. 

Em nota divulgada, a Polícia Civil disse que "a equipe está tomando as devidas providências”, e acrescenta que a dupla já foi identificada. Os valores dos itens levados, no entanto, não foram fornecidos.

O delegado Carlos Couto, titular da Delegacia de Casa Amarela, na mesma região de Recife, destacou que os suspeitos de terem participado da ação pertencem a uma quadrilha interestadual, a qual é especializada em crimes em condomínios de luxo. O prédio no qual o roubo foi registrado tem um apartamento por andar.

“São pessoas que atuam no Recife, em São Paulo e em outros estados. Sempre da mesma forma. Usam roupas elegantes e se passam por conhecidos ou parentes de moradores, sendo autorizados pelos porteiros a entrar nos condomínios”, afirmou o titular da delegacia.

O delegado continua indicando que a dupla seguiu a forma de atuação à risca: primeiramente, um dos homens chegou bem-vestido, dizendo que se dirigiria a um determinado imóvel. Depois, prossegue, ele subiu ao apartamento — que não tem vizinhos — e arrombou a porta. “Esse homem entrou e deu uma geral, separando o que havia de mais valor. A opção é sempre por dinheiro e joias”, ressaltou Carlos Couto.

Os responsáveis registraram a ocorrência na última segunda-feira (15), após voltarem de viagem. O delegado alerta que é necessário haver atenção à qualificação das pessoas que trabalham em condomínios. "Não há preparo de funcionários para lidar com situações como essa, em que pessoas chegam bem vestidas e se passam por parentes de moradores”, pontuou.

Diário do Nordeste