Hospitais de campanha voltam a receber pacientes com Covid-19; serão 314 leitos até o fim do mês

Hospitais de campanha voltam a receber pacientes com Covid-19; serão 314 leitos até o fim do mês


Após meses de aparente calmaria e remanejamento de estruturas físicas para outras finalidades, hospitais de campanha montados em municípios do Ceará voltaram a ser reabertos ou a receber pacientes com Covid-19. O aumento de casos e internações no Estado leva gestores a reavaliar cenários epidemiológicos para decidir sobre a expansão de leitos e realocação de equipes de atendimento.

Das 11 unidades do tipo que o Ceará teve na primeira onda, apenas duas permanecem desativadas: a do Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, e a municipal de Juazeiro do Norte. Com as reativações previstas ainda para este mês, serão 314 leitos disponíveis nestes equipamentos no Estado.

A ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e enfermaria exclusivos para Covid-19 têm crescido desde janeiro e beiram o limite, tanto na rede pública como na privada. De acordo com a plataforma IntegraSUS, 90,3% das UTIs adultas estavam ocupadas no Ceará, na tarde da última quarta (17). Na Capital, o índice geral ficou próximo: 90,6%, sendo 93,8% entre hospitais particulares e 91,4% entre os públicos.

Nenhum dos seis hospitais de campanha instalados pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) foi desmontado. A Pasta confirmou que eles “já estão com pacientes com Covid-19 internados”, embora, em meses anteriores, fossem destinados a outros tipos de atendimento da doença, como pacientes em quarentena e contactantes de pessoas infectadas, ou mesmo servindo como ambulatório para acompanhamento de pacientes. O quantitativo de pacientes acolhidos não foi informado.

Tais unidades contêm leitos de enfermaria e foram estruturados ao lado de hospitais da rede estadual. Desses, quatro ficam em Fortaleza: Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital São José (HSJ) e Hospital de Messejana (HM). Outros dois, no Interior: um fica anexo ao Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), em Quixeramobim, e outro ao Hospital Regional Norte (HRN), em Sobral.

Diário do Nordeste