MPF pode investigar aglomerações ocorridas na visita de Bolsonaro ao Ceará

MPF pode investigar aglomerações ocorridas na visita de Bolsonaro ao Ceará


O Ministério Público Federal (MPF) acompanhou de perto a passagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo Ceará durante a última sexta-feira, (26). O órgão de fiscalização já havia encaminhado recomendações ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e às prefeituras de Fortaleza, Horizonte e Tianguá para instauração de procedimentos para evitar aglomerações, que acabaram acontecendo em Tianguá e em Caucaia.

Em nota enviada ao O POVO, o MPF disse então que poderá instaurar procedimentos para apurar possíveis irregularidades cometidas durante a visita presidencial. A preocupação do MPF é com o cenário delicado de pandemia de Covid-19. 

"Futuras medidas dependerão do que for apurado nas investigações. Em relação ao presidente da República, caso identificada possível irregularidade, os membros do MPF no Ceará informarão ao procurador-geral da República, a que caberia atuar no caso", comunica em nota a assessoria de comunicação do MPF. 

O Povo