Ônibus é incendiado em protesto após morte de adolescente no Ceará

Ônibus é incendiado em protesto após morte de adolescente no Ceará


Um ônibus foi incendiado na noite do último domingo (14) na Rua Antônio Divino, no bairro Maraponga. De acordo com testemunhas, o ato ocorreu em protesto horas após um adolescente de 17 anos ser morto com um disparo de arma de fogo em uma rua do bairro. A população alega que o tiro veio da Polícia Militar (PMCE).

Em nota divulgada, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não confirmou a motivação do incêndio. 

Conforme moradores, a vítima teria sido morta no mesmo bairro na tarde de domingo. Por causa disso, a população abordou um coletivo, solicitou que o motorista e os passageiros saíssem e ateou fogo no transporte. As chamas alcançaram a rede elétrica e algumas casas ficaram sem energia. 

Uma viatura Auto Bomba Tanque do Corpo de Bombeiros foi ao local e conseguiu conter o incêndio. Ninguém ficou ferido. A carcaça do veículo foi retirada às 5h15 desta segunda-feira (15). Os itinerários dos ônibus não foram comprometidos.

A SSPDS reforçou que a Polícia Civil apura as circunstâncias do incêndio. "O caso é investigado pelo 19º Distrito Policial (DP). As equipes policiais realizam diligências no intuito de elucidar os fatos", esclareceu a Pasta. 

Confira a nota na íntegra: 
"A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) investiga as circunstâncias acerca de um incêndio contra um ônibus no bairro Maraponga, na Área Integrada de Segurança 9 (AIS 9) de Fortaleza. O fato ocorreu na noite desse domingo (14), quando viaturas da Polícia Militar do Ceará (PMCE) foram acionadas para a ocorrência de suspeitos que teriam ateado fogo no veículo. Uma viatura Auto Bomba Tanque (ABT) do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) esteve no local e debelou o fogo. Ninguém ficou ferido durante o incêndio. O caso é investigado pelo 19º Distrito Policial (DP). As equipes policiais realizam diligências no intuito de elucidar os fatos".

Diário do Nordeste