Pelo menos 5 pessoas desaparecidas no mar do Ceará nunca foram encontradas

Pelo menos 5 pessoas desaparecidas no mar do Ceará nunca foram encontradas


No Ceará, pelo menos 5 famílias aguardam respostas à beira-mar: são parentes que pessoas que desapareceram nas águas, entre os anos de 2016 e 2020, e nunca foram enontradas. Das Operações de Busca e Salvamento (SAR), no mesmo período, 273 tripulantes foram resgatados com vida na área de jurisdição cearense. Os dados foram fornecidos ao Diário do Nordeste pela Marinha do Brasil, através da Capitania dos Portos do Ceará (CPCE). 

O Serviço de Busca e Salvamento da Marinha (Salvamar) foi criado em 1970. No 3° Distrito Naval, área que responde pelas operações nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, a responsabilidade dos resgates é da Salvamar Nordeste. 

Para cumprir sua missão, de acordo com a Marinha, o Salvamar Nordeste emprega seus navios subordinados, podendo, ainda, valer-se de todos os outros navios, aeronaves e mergulhadores da Marinha, bem como de  embarcações de entidades privadas, de órgãos governamentais e empresas, acionadas por uma estrutura de auxílio mútuo marítimo.

Entre as instituições que auxiliam nas operações em território cearense, está o Corpo de Bombeiros Militar do Estado (CBMCE). O Tenente Coronel Albert Arruda, comandante do Batalhão de Busca e Salvamento da entidade, ressalta que o suporte em resgate acontece em ocasiões específicas, já que o efetivo dos Bombeiros atua de forma mais costeira. 

Como o Corpo de Bombeiros concentra os trabalhos na faixa litorânea, ações nessa região são mais comuns, apesar de pontualmente a equipe atender resgates mais distantes da costa. "Muitas vezes, recolher os kitsurfistas que a vela estoura em alto mar e nós vamos fazer o salvamento com os guarda-vidas, mas tudo no limite do nossos litoral", elabora o Tenente.

Diário do Nordeste