Picolé de coxinha vira sucesso durante a pandemia

Picolé de coxinha vira sucesso durante a pandemia


A coxinha, salgado tradicional brasileiro, ganhou um novo formato. O Picolé de Coxinha Original é invenção do empreendedor Clayton Quintiliano, de Jaú, no interior de São Paulo. As informações são do jornal O Globo.

Clayton tinha uma sorveteria e teve a ideia em 2017, após diminuição nas vendas no empreendimento.  “Eu tive a ideia de fabricar um produto que suprisse as necessidades naquele momento: uma coxinha no formato de picolé. Foi uma sensação para as crianças da cidade”, afirmou. 


No final de 2017, com a alta nas rendas, Clayton fechou a sorveteria para dar aulas no seu estúdio de dança, onde atua desde 2016. Em maio de 2020, com a pandemia do novo coronavírus, as aulas de dança foram interrompidas e ele retomou a produção do picolé. O empreendedor compartilhou fotos do produto nas redes sociais e, em pouco tempo, o formato se popularizou.

“Foi uma surpresa porque a intenção de produzir o picolé de coxinha era vender para os familiares, mas cresceu bastante. Hoje o nosso produto já é conhecido em vários lugares", comemora Clayton.

O empreendedor vende cerca de 50 picolés por dia, por delivery. Uma bandeja com quatro unidades do salgado custa R$ 15. O alimento é servido quente e pode ganhar ketchup e maionese como 'cobertura'.