Polícia interdita laboratório que revendia protéses dentárias compradas de cemitérios como se fossem novas

Polícia interdita laboratório que revendia protéses dentárias compradas de cemitérios como se fossem novas


Uma operação da Delegacia Especial de Crime contra o Consumidor (Decon), desencadeada nesta segunda-feira, resultou na interdição de um laboratório protético irregular no bairro de Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio. Segundo a Polícia Civil, os responsáveis pelo espaço adquiriam itens de cemitérios clandestinos na Região Metropolitana e revendiam para clínicas odontológicas como se fossem novos.

A fraude em questão diz respeito ao material conhecido como "roach", um tipo de prótese dentária removível. Após adquirir o aparato por cerca de 50% do custo habitual, ele era submetido a um processo químico para que aparentasse ser novo, sendo então repassado às clínicas. Pelo menos dois cemitérios que participavam do esquema foram identificados, um em São Gonçalo e outro na Baixada Fluminense, mas a delegacia especializada ainda busca outros endereços.

Dois suspeitos foram presos em flagrante no local por crimes contra o consumidor e contra a saúde pública, cujas penas, somadas, podem chegar a seis anos de reclusão. As investigações apontam que eles atuavam desta maneira no segmento há pelo menos três anos.

Extra