Após críticas de Ivo, Clero de Sobral fala em "injustiças, perseguições e calúnias" contra bispo e Santa Casa

Após críticas de Ivo, Clero de Sobral fala em "injustiças, perseguições e calúnias" contra bispo e Santa Casa


Membros do Clero de Sobral divulgaram uma nota neste sábado, 13, em defesa da Diocese do município e da Santa Casa de Misericórdia. As instituições foram alvo de críticas do prefeito Ivo Gomes (PDT), após o gestor ser acusado pelo deputado federal Capitão Wagner (Pros), no início desta semana, de criar "leitos fantasmas" e não destinar o montante de R$ 4,3 milhões enviadas pelo Governo Federal para a saúde da cidade. 

Na última quarta feira, 10, o prefeito sobralense acusou o bispo José Vasconcelos, da Igreja Católica de Sobral, de envolvimento em "bandalheiras" na Santa Casa. Além disso, Ivo denunciou suposta ligação do religioso com Capitão Wagner, pois seria um "bolsonarista" com "conluio com o que há de pior na política cearense". As palavras foram inseridas em publicação nas redes sociais.

Neste sábado, nove padres assinaram uma nota em resposta à polêmica. Apesar de não fazer menção direta a Ivo Ivo, a mensagem é clara: "Não obstante as incompreensões, injustiças, perseguições e calúnias, estamos unidos e firmes no propósito de continuar cumprindo destemidamente a nossa missão: servir a Deus, servir a Sua Igreja e servir o Seu povo. Uma história séria como a nossa, precisa ser tratada com respeito e seriedade!", afirma o documento. 

No texto, os párocos da Diocese alegam considerar "providencial" a vinda de Dom Vasconcelos para Sobral, destacando sua atuação na Santa Casa. "A ele a nossa admiração e respeito pela a maneira incansável com que tem, desde o início do seu pastoreio, “vestido a camisa” da Santa Casa de Misericórdia de Sobral, participando regularmente das reuniões do seu Conselho Gestor", afirmam.

A reportagem tentou contato com Dom Vasconcelos e com o diretor-geral da Santa Casa de Misericórdia de Sobral, Klebson Carvalho, mas não obteve retorno.

O POVO Online